Google+ Followers

sexta-feira, outubro 31, 2008

Uma casa grande como um país pequeno...

(Cezanne)
A Casa

Uma casa grande como
um país pequeno
um país que não possa
fazer a guerra

Uma casa de resina
no limbo da terra

A terra que moldo ao longo
dos músculos
uma terra que não se pague
com usura

Suave como um dorso
ou um pouco de água
por entre os escombros

Uma casa invisível
um barco que se aperte
entre os seios

Mais do que por dentro
da mão fechada


Mais do que por dentro
do próprio corpo.

(Casimiro de Brito- Jardins de Guerra)

1 comentário:

  1. Há que tempo não sentia este Casimiro de Brito que descobri pelos meus 17 anos.
    Poeta efémero mas brilhante.

    ResponderEliminar

Não são permitidos comentários anónimos