Google+ Followers

quarta-feira, outubro 01, 2008

Como é que lhe surgiu uma personagem destas?

(A.Durer)

Tratava-se de uma escola de artes e a oficina da escrita era conhecida no geral como sendo a maneira mais fácil de obter os créditos necessários em inglês. Os meus alunos estavam lá porque sabiam pintar ou exculpir admiravelmente, ou então filmar os seus próprios corpos até à exaustão. Então e isso não era suficiente ? Contavam histórias engraçadas e interessantes sobre as suas vidas, mas pegar na caneta e escrever os pormenores era para eles mais uma obrigação do que uma ambição. A meu ver, se os alunos estavam dispostos a fingir que eu era professor, o mínimo que eu podia fazer era retribuir-lhes o favor e fingir que eles eram escritores. Mesmo se alguém usasse o nome verdadeiro e contasse, por exemplo, o que tinha acontecido na última consulta do dentista, eu considerava a história como pura ficção e perguntava:« Então, Dean, como é que lhe surgiu uma personagem destas»?
O aluno podia resmungar e apontar para o pedaço de algodão ensanguentado que lhe comprimia a gengiva inchada, mas eu dizia:« Quando é que dicidiste que a personagem devia procurar tratar o molar inflamado?» Este tipo de questões possibilitava que os autores se sentissem criativos e protegia aqueles que tinham opiniões políticas pouco aceitáveis.
-Ora deixe-me ver se percebo-disse-me um aluno. - O sotôr está-me a dizer que se eu disser uma coisa em voz alta, sou eu a dizer, mas se escrever exactamente a mesma coisa numa folha de papel, já é outra pessoa. É isso?
-É - respondi.- E chamamos a isso ficção.
O aluno sacou do caderno, escreveu qualquer coisa e depois entregou-me um papel em que se lia:« Isso é a coisa mais estúpidamente merdosa que eu ouvi na vida».
Eram miúdos espertos.
(cont.)

(David Sedaris- eu falar bonito um dia)



David Sedaris- http://en.wikipedia.org/wiki/David_Sedaris

http://www.youtube.com/watch?v=YBdymtyXt8Y

Sem comentários:

Enviar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos