Google+ Followers

sexta-feira, fevereiro 17, 2006

Sussurra quando passa por uma imagem tão leve...

(Bierman)


Ninguém se aproxima de ninguém se não for num murmúrio,
entre flores altas:camélias de ar
espancado, as labaredas dos aloés erguidas
de uma carne difícil.
A beleza que devora a visão alimenta-se da desordem.
O espaço brilha dela, sussurra quando passa por uma imagem
tão leve que não suporta o peso
brusco
do sangue-as veias da garganta contra a boca.


Herberto Helder ( Poesia toda)

1 comentário:

  1. Há coisas que outros dizem...assim de uma mameira que parece nova:
    "A beleza que devora a visão alimenta-se da desordem".

    ResponderEliminar

Não são permitidos comentários anónimos