Google+ Followers

sexta-feira, fevereiro 15, 2008

éramos terra, e chuva, e ouro, e azeviche

(Matisse)
Fiquei com ela a sós, só com ela e o vinho;
e das trevas a asa ia-se então abrindo...
Somente através dela eu a vida sentia.

Que pecado haverá neste anelo de vida?
Eu, ela, o vinho branco, a noite sem limites:
éramos terra, e chuva, e ouro, e azeviche.


(IBN HAZN -994-1064-O Colar da Pomba)

1 comentário:

  1. Conjugação perfeita.
    No poema, os ingredientes para uma noite inesquecível.
    No post, a ligação entre texto e imagem.

    ResponderEliminar

Não são permitidos comentários anónimos