Google+ Followers

segunda-feira, fevereiro 12, 2007

Um mínimo ente magnífico...



A Magnólia


A exaltacão do mínimo,
e o magnífico relâmpago
do acontecimento mestre
restituem a forma
o meu esplendor.


Um diminuto berço me recolhe
onde a palavra se elide
na matéria - na metáfora -
necessária, e leve, a cada um
onde se ecoa e resvala.


A magnólia,
o som que se desenvolve nela
quando pronunciada,
é um exaltado aroma
perdido na tempestade,


um mínimo ente magnífico
desfolhando relâmpagos
sobre mim.

poema encontrado aqui

(Luíza Neto Jorge)

1 comentário:

  1. ...linda, linda, linda esta pintura...tem vida, sabes?...foste tu que a pintaste?...está divinal!...


    Jinhosssss

    ResponderEliminar

Não são permitidos comentários anónimos