Google+ Followers

sexta-feira, fevereiro 16, 2007

Quem disse que a pintura deve parecer-se com a realidade?

(Wassily Kandinsky)


Sobre a pintura de um ramo florido

"Primavera Precoce", de Wang

Quem disse que a pintura deve parecer-se com a realidade?
Quem o disse vê com olhos de não entendimento
Quem disse que o poema deve ter um tema?
Quem o disse perde a poesia do poema
Pintura e poesia têm o mesmo fim:
Frescura límpida, arte para além da arte
Os pardais de Bain Lun piam no papel
As flores de Zhao Chang palpitam
Porém o que são ao lado destes rolos
Pensamentos-linhas, manchas-espíritos?
Quem teria pensado que um pontinho vermelho
Provocaria o desabrochar da primavera?



Su Dong Po

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. Pois a mim parece-me que a pintura se parece sempre com a realidade e quando não se parece não chegamos a olhar. Tal como o poema tem sempre um tema que depois se multiplica cada vez que é lido. Por outro lado a arte é arte e não tem que estar para além da arte nem para além de coisa nenhuma. O risco é admitirmos que estamos a chamar arte ao que já não é arte e poesia ao que já não é poesia, remetendo sempre a verdade para o passado, quando, a existir alguma verdade, ela estará no futuro.

    ResponderEliminar
  3. Nâo me parece que o poema de Su Dong Po e o caro Ikivuku estejam a falar línguas diferentes.Ambos perseguem a arte como uma realidade que se cria partindo da realidade, mas criando uma outra realidade,a Arte.Ou, se calhar estarei enganada?

    ResponderEliminar

Não são permitidos comentários anónimos