Google+ Followers

quinta-feira, dezembro 18, 2008

Nada do que é convencional...


Esta árvore foi encontrada acidentalmente numa missão abandonada e semi-destruida pela guerra e pelo abandono dos homens - MISSÃO DE BOROMA- perto de Tete. Achei-a como quem acha um tesouro. Olhei-a e, ainda hoje a olho, como símbolo da vitória da vida sobre a morte. É esta,pois, a Árvore de Natal que trago para todos.(19/12/2005-Addiragram)


Não há pinheiros nem há neve,

Nada do que é convencional,

Nada daquilo que se escreve

Ou que se diz... Mas é Natal.

Que ar abafado! A chuva banha

A terra, morna e vertical.

Plantas da flora mais estranha,

Aves da fauna tropical.

Nem luz, nem cores, nem lembranças

Da hora única e imortal.

Somente o riso das crianças

Que em toda a parte é sempre igual.

Não há pastores nem ovelhas,

Nada do que é tradicional.

As orações, porém, são velhas

E a noite é Noite de Natal.


(Cabral do Nascimento)



3 comentários:

  1. É bom sinal que ela venha para aqui mais uma vez.

    ResponderEliminar
  2. Obrigada pela árvore é belíssima!

    ResponderEliminar
  3. Porque as árvores/mensages são perenes, obrigado.

    ResponderEliminar

Não são permitidos comentários anónimos