Google+ Followers

domingo, dezembro 28, 2008

Ele é um dos eternos mensageiros...


(Munch)

Celebrar, sim! Eleito a celebrar
surgiu como o minério do silêncio
da pedra. Ó coração, mortal lagar
de um vinho inesgotável para os homens.

A nenhum pó a sua voz falhou
se o exemplo divino dele se apossa
Tudo se faz vinhedo e se faz uva
amadurada no seu Sul sensível.

Nem nas criptas dos reis a podridão
poderá desmentir seu celebrar,
ou sombra que dos deuses caír possa.

Ele é um dos eternos mensageiros
que ainda pra lá dos umbrais dos mortos
erguem taças de frutos gloriosos.

(Rainer Maria Rilke-Sonetos a Orfeu)

2 comentários:

  1. Coincidências, não é? Hoje, aniversário da morte de Rilke, também enviei um outro poema dele para a companhia do poeta...Um abraço

    ResponderEliminar
  2. É a segunda coincidência...que me lembre, e o mais curioso é que tenho publicado,espontaneamente, sem ter presentes as efemérides.
    Um 2009, sempre produtivo e criativo, e um abraço também!

    ResponderEliminar

Não são permitidos comentários anónimos