Google+ Followers

terça-feira, março 14, 2006

Afinal o que era uma noite?




Mas afinal o que era uma noite? Um curto espaço, em especial quando a escuridão desce tão cedo, e tão cedo um pássaro canta, um galo grita, ou um certo verde pálido se agita, como folha voltada no côncavo da onda.A noite, porém, segue-se à noite.O inverno guarda uma provisão de noites, reparte-as equitativamente,igualmente, com dedos infatigáveis.Prolongam-se; escurecem. Algumas sustentam no alto claros planetas, placas de brilho.

Virgínia Woolf ( Rumo ao Farol)

3 comentários:

  1. Não se pode ocultar a luz por tanto tempo. Em alguma altura ela surgirá inevitavelmente!

    ResponderEliminar
  2. Sempre gostei da noite.
    Se pudesse, nunca dormia!

    ResponderEliminar
  3. Mal dos poetas perdidos no palavrear libertador que não deixa de ser doloroso; mal dos que amam sem que o tempo os deixe permanecer aconchegados no querer eterno; mal de todos os seres pensantes do universo, desgastados pela sucessão das marés; mal das mulheres inteligentes que tão bem sabem definir os invernos repletos da mais criativa escuridão.

    ResponderEliminar

Não são permitidos comentários anónimos