Google+ Followers

sexta-feira, junho 03, 2011

Suas ruas são canais onde sempre gondoleiros...

    (Aguarelas de Turner)

VENEZA
Prólogo de uma peça de teatro


Esta história aconteceu
Num país chamado Itália
Na cidade de Veneza
Que é sobre a água construída
E de noite e dia se mira
Sobre a água reflectida.


Suas ruas são canais
Onde sempre gondoleiros
Vão guiando barcas negras
Em Veneza tudo é belo
Tudo rebrilha e cintila


Há quatro cavalos gregos
Sobre o frontão de S. Marcos
E a ponte do Rialto
Desenha aéreo o seu arco
Em Veneza tudo existe
Pois é senhora do mar


Dos quatro cantos do mundo
Os navios carregados
Desembarcam no seu cais
Sedas tapetes brocados
Pérolas rubis corais
Colares anéis e pulseiras
E perfumes orientais


Cidade é de mercadores
E também de apaixonados
Sempre perdidos de amores
E cada dia ali chegam
Persas judeus e romanos
Franceses e florentinos
Artistas e bailarinos
E ladrões e cavaleiros


Aqui só há uma sombra
As prisões da Signoria
E os esbirros do doge
Que espiam a noite e o dia
De resto em Veneza há só
Dança canções fantasia


Cada ano aqui se tecem
Histórias variadas
Que às vezes até parecem
Aventuras inventadas


Por isso sempre digo
Que Veneza é como aquela
Cidade de Alexandria
Onde há sol à meia-noite
E há lua ao meio-dia *


* Os últimos três versos são de tradição popular.


(Sophia de Mello Breyner Andresen, O Búzio de Cós e outros poemas)


Passeando por terras do norte tenho-me feito acompanhar por alguns dos seus escritores ou poetas. Hoje, é a vez de Sophia que resolvi ligar à tarde maravilhosa de Domingo que passei em Veneza, pouco tempo depois das férias da Páscoa.
Evocar Sophia é trazer aqui a mulher que nunca separou a  sua paixão pela pureza/beleza dos lugares da denúncia da violência e opressão. Sabe bem lembrá-la neste tempo presente em que me apetecia, cobardemente, fugir para Veneza...

6 comentários:

  1. Temos sempre essa nostalgia romântica da fuga.
    E Veneza apetece sempre.

    ResponderEliminar
  2. Cobardamente? Não, com a sagesse dos que sabem que há outra vida... possível... outros reinos... outras gentes... outros modos... como Veneza.

    ResponderEliminar
  3. Muito bonito. Que belo passeio que deve ter sido.

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  5. Foi um Santo domingo!
    A foto é desse dia? Belíssima!

    ResponderEliminar
  6. Totalmente desse dia, grande companheira Veneziana! Um Santo Domingo!

    ResponderEliminar

Não são permitidos comentários anónimos