Google+ Followers

terça-feira, junho 07, 2011

escavo corpos na flexibilidade das sombras...

Nomeio constelações uso-as
para me guiarem no receio das noites
escavo corpos na flexibilidade das sombras
atravesso a amanhã e ponho a descoberto
a casa onde a infância secou


o olhar desce aos gestos inacabados
satura-os de jovens lágrimas de resinas
e o susto da criança que fui reaviva
um pouco de alegria no coração.

(Al Berto . Vigílias)

4 comentários:

  1. Muito bonito, mas muito deprimente...
    Gosto de vir aqui ler os poemas que escolhe.
    Obrigada.

    ResponderEliminar
  2. Tão belo! E verdadeiro!

    Muitos abraços!
    Jorge Vicente

    ResponderEliminar
  3. É verdade... a maior parte da vida são mesmo tristezas!

    ResponderEliminar

Não são permitidos comentários anónimos