Google+ Followers

quinta-feira, outubro 25, 2007

CONVERSA à volta de Blogs



A pausa de uma semana que introduzi no "Aguarelas de Turner" teve como única finalidade inverter a minha relação com o blog, isto é, deixar de me governar pelo hábito de publicar. Não houve assim, qualquer vontade da minha parte nem de partir definitivamente ( pelo menos para já...) nem de antecipar uma espécie de "elogio fúnebre" com o "morto/a "a assistir.
Sou por natureza, um pouco,irrequieta. Por isso senti desejo de quebrar a rotina da publicação, de a repensar, aproveitando também para sistematizar algumas ideias em torno do blogger e do seu blog, bem como sobre as relações que se vão estabelecendo com os comentadores, através das suas visitas e dos seus comentários... Pensar sempre foi sempre, para mim, uma boa medida higiénica, daí esta pausa depois da intensa publicação na série "Notas de Viagem".

O Blogger e o seu Blog

I- O "nascimento do Blog"

1- A criação de um blog pessoal é fundamentalmente individualista, já que corresponde a uma necessidade do próprio.
2- A natureza do Blog depende de diferentes variáveis, entre as quais:

- formação do Blogger
- interesses predominantes
- papel do Blog no espaço mental do Blogger
- efeito do Blog sobre o Blogger
- efeito dos visitantes sobre o Blogger
- outras mais haverá...

II- O Blog torna-se visível...

1 -O Blogger descobre que as suas publicações ganham forma e...revê-se nelas... ( é tudo tão imediato...Não tem de esperar que o que produz seja ou não considerado de interesse...Sente-se como o adolescente que resolve criar um jornal de que ele próprio é o director...). Vive inicialmente um certo deslumbramento - vê concretizado o que, na maior parte dos casos, nunca imaginou ser possível...
2- O Blogger entra na Blogosfera mas descobre-se
. Ninguém o descobre, ninguém o comenta. Dá-se a desilusão ( como aquela que atinge o escritor novato após a publicação do seu livro...Há poucas críticas, há poucas vendas, não é "levado em ombros" ...)
3- O Blogger tem de "vender" o seu produto. Tem de o publicitar. Descobre, aos poucos, que surgem comentários cuja única finalidade é anunciarem os seus próprios blogs.
Reage. Pensa "com os seus botões":- nem sequer me leram...
4- O Blogger começa a descobrir outros Blogs . Se, por um lado, alguns deles, lhe despertam a atenção, o entusiasmam mesmo; por outro, lá no seu intímo, comenta-os para que eles o descubram.

III-
O Blog passa a ter existência através das visitas regulares que recebe

1- os comentadores-visitantes começam a chegar e vão deixando os "
traços" das suas personalidades

- comentários,
confirmações narcísicas;
- comentários
não comprometedores, em que o comentador só mostra de si a sua presença;
- comentários
ao lado;
-
comentários anónimos com cariz, frequentemente, agressivo ou maldoso;
-comentários
sedutores em que o comentador concorda mimeticamente com o autor;
- comentários que
alargam o pensamento do que foi publicado, sem preocupação de agradar ao autor;
- comentários
empatia, que denotam uma leitura do que foi publicado que vai para lá da superfície, demonstrando capacidade para entender (emocionalmente falando) o espírito do post. Aqui incluem-se ainda aqueles comentários que compreendem do blogger mais do que ele, conscientemente, quis comunicar.
- comentários
críticos

IV-
O Blogger sente-se bem neste espaço

- Sente-se apreciado no que produz
- gosta de receber elogios
- começa a gostar de estar na "sua" tertúlia.
- descobre ou imagina "afinidades"
- sente-se estimulado
- corre o risco de querer alcançar, a todo o custo, mais comentários.
- às vezes pensa que a ausência de comentários é um indicador do desinteresse do post
- começam a esboçar-se relações

V-
Diferentes Bloggers/diferentes Blogs

- O Blogger solitário (que se considera de uma craveira superior a todos os outros) e só contempla o que ele produz e o de outros "eleitos".
- O Blogger batido nas lides da comunicação
1-usa o blog como mais um canal de expressão, mas
está fechado a comentadores ( tem pouca paciência para conversar com ignorantes, as visitas seriam tantas que esgotariam o espaço disponível, protege-se também de visitas incómodas, sabe-se lido).
2- aberto a comentadores, mas pouco capaz de reciprocidade. Habituou-se a receber mais do que a dar...A sua obra é a sua dádiva.
3- aberto a comentadores e com capacidade genuína de diálogo.

- O Blogger catártico
Está mais necessitado em aliviar as suas dores, raivas , revoltas do que em olhar para o que o rodeia. Às vezes pede apoio e conforto ("A nossa necessidade de consolo é impossível de satisfazer".Stig Dagerman)
- O Blogger que se pensa com uma missão.
A educação, a divulgação de conhecimentos, a discussão e debate políticos
- O Blogger que faz do blog um diário dos diferentes sentires.
Usa as formas de expressão, para si mais adequadas, para comunicar diversos estados de alma. Blog com função terapêutica espontânea, já que tratando-se de formas criativas de comunicação, elas facilitam a elaboração dos sofrimentos e possibilitam a partilha pelas identificações que os comentadores estabelecem com o autor.
-
O Blogger artista que faz do blog uma extensão do atelier, onde vai expondo as suas produções.
-
O Blogger que se descobre
Usa o blog para trazer à luz do dia uma parte sua ignorada, silenciada ou quase desconhecida. Este Blogger pode-se conhecer melhor através da sua própria criação.
-
O Blogger que faz do blog um refúgio.
........

Estas são algumas das categorias que, empiricamente, tenho vindo a identificar e que procurei isolar artificialmente. Muitas vezes algumas destas categorias cruzam-se e misturam-se.


VI-
O Blogger transforma-se... positiva e negativamente

-O Blogger ao rever-se na sua "obra" e ao sentir-se apreciado tem vontade de continuar...

- O Blogger começa a gostar verdadeiramente de ler alguns blogs dos seus amigos . Começa a descentrar-se de si mesmo para sentir maior prazer na leitura e "descoberta" do outro. O seu blog pode começar a sofrer a influência destas novas relações...Pode também ir mudando.

- O Blogger começa a construir uma representação daquelas pessoas e em alguns casos, sente-se próximo delas.

- O Blogger vive um genuíno prazer de partilhar com os outros os seus pensamentos, a expressão do seu sentir, e vive um prazer, igualmente genuíno de visitar os blogs de outros seus amigos e de os comentar.

-O Blogger pode continuar mais centrado em si do que nos outros e isso pode levá-lo a tornar-se um "consumidor" de blogs para receber comentários. Continua as suas
prospecções para atrair novos visitantes...Se o nº de visitas baixa, isso pode ser sinal de uma baixa audiência... Há que fazer mais visitas, muitas delas com um cunho meramente provisório...
Se gosta pouco desta actividade de "pescaria" pode desistir do blog, desinteressando-se, sentindo-se "abandonado"ou incompreendido.

-O Blogger descobre a realidade- da imensa quantidade de comentadores que tem, muito poucos são mesmo interessados. O grande número comenta apenas num registo de retribuição. Se acaso deixar de comentar quase todos eles desaparecem...

- O Blogger pode também procurar fazer mais comentários em momentos em que se sente mais triste ou, pelo contrário, ausentar-se das visitas.

- O Blogger desliga-se do blog. Deixa-o
caír.

..................................

VII-
Da dependência à "independência"...

- O Blogger descobre que está a dedicar tempo demais ao blog e começa a rebelar-se. E as leituras? E os filmes? E as exposições?...e a conversa à volta da mesa?
- Sem se dar conta criou um obrigação - a da publicação. Se há uma parte de si que continua a re
tirar prazer da construção do post e da oportunidade que esta construção lhe traz de contactar com pessoas interessantes ; outra parte sua, sente estar a ser conduzida por uma rotina, rotina que é mortífera da satisfação que tira...
- A assiduidade e a obrigação "inventada", decorreram , entre outras razões, dos laços criados e da "fantasia "algo grandiosa, de se imaginar a alimentar uma
audiência.
- A sua relação com os seus amigos bloggers
cresce. Se algo nasceu entre ele e os outros, há a certeza de não abalar à primeira "rabanada de vento".
-Está então mais
livre para continuar, mas de forma diferente.
- O Blogger consciencializa que o blog corresponde a um trajecto, tem uma história e uma duração.
- Nasceu, assim, neste tempo uma reciprocidade livre e aberta .

( Isto foram coisas que fui pensando durante esta semana de pausa. São apenas "coisas minhas"que não têm outra pretensão senão a abrir a porta a um debate...se quiseram....porque de bloggers e blogs não sei mesmo nada! E...um abraço a todos os que lêem com o coração.)

20 comentários:

  1. Não é um impulso mimético nem empático nem reverente. É a expressão sincera da leitura gratificante deste post. Refiro-me ao comentário que aqui estou a deixar agora que, se bem me recordo,´´e apenas o segundo que aqui deixo, independemtemente da leitura regular que faço deste blog
    :) (sorriso adequado ao meio...)

    ResponderEliminar
  2. Tinha este blog nos meus favoritos e por isso vi com um certo pesar que, durante algum tempo, não havia novidades. Está agora explicado porquê. Acho que valeu a pena esperar...
    Abraço.

    ResponderEliminar
  3. Acabada de chegar de Barcelona fiz a primeira leitura, pouco precisa. Voltarei pois achei curiosa este elenco de situações em que me revi e de que gostei. Terei de reler e daí tirar, para mim, outras conclusões, como complemento. Um trabalho que denota uma qualidade que muito prezo - a reflexão.

    ResponderEliminar
  4. A sinceridade de suas reflexões são quase um tratado dos bloqueiros, e onde me identifico com muito das suas idéias. Os bloques viram competitivos, quase que se repetem em conteúdo, são poucos os originais que trazem informação.

    Um bloque ao meu ver dever ser:
    (há outras possibilidades, e só consigo pensar nestas agora)


    B: breve

    L: lúcido

    O: Original

    G: genuíno.

    Os blogs são como o "pão de cada dia" onde os olhos vêem e digerem de modo breve e silencioso, de modo breve, sumário e apressado um mundo virtual fácil e acessível,

    mas poucos chegam a pensar o que caracteriza um blog.


    bjs,


    JUgioli

    ResponderEliminar
  5. Que pausa tão produtiva!

    Tem aqui bom material para uma tese... :)

    Jinhos.

    ResponderEliminar
  6. O meu blog já passou por tantas fazes... inicialmente era um photoblog, só tinha fotografias. Depois passou também a falar sobre aquilo que de eu gosto... e muitas vezes é uma forma de contar ao mundo como eu me estou a sentir e aquilo que penso. Não procuro conselho, ouço o que os outros têm a dizer, mas no fim quem decide sou eu. Sou livre.

    Gostei do texto que escreveste, das tuas reflexões e concordo com a maioria delas.

    ResponderEliminar
  7. A análise é... exaustiva!
    Gostei de me rever num ponto ou noutro!
    E... toca a postar!

    ResponderEliminar
  8. li-te com o cora�o. revejo-me em algumas coisas e n�o seria capaz de uma an�lise t�o objectiva e clara.
    n�o conto deixar ca�r, mas agora n�o dependo... apenas uso.
    creio que far�s o mesmo.
    (contudo nunca te achei dependente).

    deixo tamb�m um beijo apressado.

    ResponderEliminar
  9. Um obrigada a todos quantos deixaram aqui palavras tão generosas... Acredito contudo, que terão outros contributos diferentes que poderia ser interessante debater...Se assim for, poderíamos, de tempos a tempos, reabrir esta "Conversa"...Se valer a pena, é claro...

    Um beijo a todos os meus amigos!

    ResponderEliminar
  10. O teu post merece uma reflexão bem mais aprofundada do que aquela que agora posso fazer.
    E, claro, não deixei de me rever em algumas coisas...
    Um beijo

    ResponderEliminar
  11. Pensava que tinha deixado um comentário. Fi-lo no sábado... se calhar não escrevi as letrinhas.
    mas prometo fazê-lo de novo amanhã.
    BEIJO.

    ResponderEliminar
  12. Desta vez tenho a certeza que postei!

    ResponderEliminar
  13. Uma reflexão que toca alguns pontos criticos desta actividade de construir um blog. Deixo o sinal do meu interesse pela reflexão acerca de um tema que já deixou de ser puramente marginal.

    ResponderEliminar
  14. Vamos lá acrescentar mais coisas!Saltem novas ideias, ideias divergentes, ideias complementares...mas saltem! Um abraço a todos.

    ResponderEliminar
  15. É a terceira vez que escrevo .. vamos lá ver.
    O mundo virtual é isso mesmo , um espaço onde muitos procuram criar artifícios de si mesmos, outros perseguem fantasmas não assumidos, outros ainda, buscam uma efémera notariedade. Ser blogger, neste espaço dilatado, implica muitas vezes projectar uma imagem distorcida, aumentada ou simplesmente retorcida.Um blogger pode ,e deve ser também , o indivíduo que escreve pelo prazer de comunicar, e partilhar o que sente, escreve ou pensa, o que afinal engloba as duas premissas anteriores. No entanto, e como tudo reflecte a sociedade em que vivemos, este espaço serve para muitos se auto promoverem e simplesmente andam na cauda dos outros, manifestando-se apenas nos sítios mais relevantes ou comentando au passant e repetindo invarialvelmente as palavras dos outros. São facilmente detectáveis e provocam a alguns um sorriso. Penso que muitos o farão por mal formação, outros por naïveté. Sejamos então complacentes, porque em todos os lugares haverá sempre os ditos cujos... " penduras", traço congénito de um povo...
    Beijinho.
    Oxalá o consiga desta vez, caso contrário desisto.

    ResponderEliminar
  16. Chegou cá, desta feita! Também me provocaste algum sorriso... mas de...cumplicidade!

    ResponderEliminar
  17. Há uma antiga definição de Inteligência Artificial que considera uma máquina inteligente desde que um humano ao interagir com ela não se aperceba de que se trata de uma máquina. Foi isto que me ocorreu ao ler a maneira como caracterizas o 'Blogger': não há dúvida de que por detrás de cada 'Blog' está um humano. Isso permite que ao classificares os 'Bloggers' não seja necessário criares novas categorias que fujam aos padrões correntes. Um 'Blogger' é um humano e, como tal, vai interagir com os outros 'Bloggers' como interage com os outros humanos.
    A estranheza que ressalvas é a forma rápida como tudo isto acontece. Um rede fora da internet leva décadas a criar-se e é muito sensível às condições iniciais. Necessita que as razões de proximidade sejam claras e geralmente necessita de um elemento humano agregador que determine algum grau de hierarquia. Embora nas redes da internet isso também possa acontecer, a rapidez que conhecemos obriga a uma dinâmica no relacionamento que padece de menos inibições que a relação social tradicional.
    Parece-me, no entanto, que a história da internet apesar de avassaladora, ainda é curta. Os órgãos de poder tradicionais estão a estudar as melhores formas de limitar o caos que para elas é haver um mundo onde não sabem o que se passa. E estão preocupados. Estão preocupados pelas razões que tu muito bem enuncias: na rede as pessoas procedem exactamente como pessoas que são mas, devido à leveza do anonimato, sentem-se mais livres para dizer o que sentem e o que pensam, encontrando afinidades que nos meios convencionais são recalcadas, e, por isso, muitas das regras de conduta que delimitam em profundidade o poder estabelecido correm, para o bem e para o mal, o risco de ser corroidas. Os que determinam o andar do mundo não têm o sono tranquilo quando há variáveis ocultas.

    ResponderEliminar
  18. Estou completamente de acordo com a observação de que os blogs reflectem as pessoas e por isso espelham-se neles as características de cada um.
    Há contudo as características particulares deste tipo de comunicação que parecem introduzir quer facilitadores da desinibição, quer ampliadores de idealizações, etc
    Era interessante poder investigar estas componentes específicas de uma forma sistemática.
    Quanto às variáveis ocultas "eles"
    quererão sempre conhecer para controlar, mas a história mostra-nos que isso é uma tarefa impossível.
    Um obrigada por este teu desenvolvimento!

    ResponderEliminar

Não são permitidos comentários anónimos