Google+ Followers

sexta-feira, abril 25, 2008

ABRIL, 25- Uma Saudade e um Sonho




(Aguarelas de Turner) Flores para Abril

Os sussurros que amarrávamos entre os dentes;
O sonho do que nunca iria acontecer;
A vontade, indomável, de partir;
A cor cinzenta que nos entranhava;
A música que ouvíamos em segredo;
O receio da palavra que escapara;
A guerra que era a glória dos cobardes;
O sonho que Verdade se tornou;
A possibilidade única de Ser.

(escrito em resposta ao desafio lançado no ano passado por "Palavras em Linha:"Conta como foi"-http://osentidodaspalavras.blogspot.com/2007/04/conta-como-foi.html

4 comentários:

  1. Excelente este teu texto.
    Também eu, que despertei muito cedo para a luta contra um regime opressivo e caduco e vivi muitos anos à espera desse dia
    ("O dia inicial inteiro e limpo
    Onde emergimos da noite e do silêncio
    ", como disse a Sophia).
    E também cheguei a descrer, a julgar que esse sonho nunca iria acontecer.
    Hoje, passados tantos anos, é com algum desânimo que vejo o Abril que ainda está por cumprir.
    E é com mágoa que vejo, tantos companheiros e companheiras, que, comigo, lutaram para que Abril viesse, terem , de certa maneira, traído esses ideais que foram a nossa bandeira, para viverem hoje acomodados, muitos deles usufruindo as benesses de uma carreira política que os recompensou de alguns sacrifícios de outros tempos.
    Resta-me a mim, o singelo e insignificante orgulho de não ter abandonado esses ideais, de me ter mantido coerente, de não me ter vendido "por um prato de lentilhas".

    ResponderEliminar
  2. Há uma palavra que por mais usada que seja, não perde a sua força quando se refere ao 25 de Abril..... SEMPRE!

    ResponderEliminar
  3. gostei do título: é mesmo isso "uma saudade e um sonho" e as multiplas combinações

    ResponderEliminar

Não são permitidos comentários anónimos