Google+ Followers

segunda-feira, dezembro 14, 2009

"Ágora" em debate



 Acabei de sair deste filme, não tendo tido ainda a distância suficiente para uma análise um pouco mais reflectida. Não me sentindo preparada para o analisar do ponto de vista da sua exatidão histórica, vi-o como um libelo contra todas as formas de violência presentes no dogmatismo das religiões e das ideologias. Contra a destruição da ciência, da cultura, do pensamento,  da independência e, em última instância, da vida,  é vital  e urgente continuarmos a erguermo-nos. Penso que seria um filme importante a ser visto e debatido nas aulas de história, filosofia e, porque não, de física e matemática. Temos o dever de continuar a denunciar e desmontar todas as formas de violência, "devidamente justificadas" por ideias ou por uma qualquer fé.

3 comentários:

  1. Gostava que vissem o filme e que viessem aqui dar as vossas opiniões..

    ResponderEliminar
  2. Ainda não vi o filme.
    Mas, desde já, considero essencial a educação para a não violência, que as nossas escolas deveriam colocar como uma das primeiras prioridades.
    Mas, infelizmente, a instituição escolar está cada vez mais inerte e caduca, fechada sobre si mesma, sem dar conta de que, à sua volta, em cada amanhã, o mundo fica diferente.

    ResponderEliminar
  3. Olá! Com licença; deixe que me apresente: sou Jeferson, um homem comum que gosta de escrever. Quando tenho um tempo saio vadio em visitas a blogs, seguindo a seta que aparece no auto da pagina inicial (próximo blog>>). Posso afirmar que é uma experiência “deliciante”.
    Só em ler o seu pré-comentário já fiquei com vontade de ver ao filme. Espero que eu tenha acesso a ele aqui onde eu moro.
    Quando encontro um blog bem legal eu posto um comentário e deixo o convite para que conheçam o http:jefhcardoso.blogspot.com/ . Pela proposta de seu blog creio que poderá encontrar algo em minha sessão em preto e branco, que data de novembro.


    Parabéns por seu blog, e desculpe a intromissão.
    Abraço: Jefhcardoso.

    ResponderEliminar

Não são permitidos comentários anónimos