Google+ Followers

quinta-feira, setembro 27, 2007

VULCÃO DOS CAPELINHOS - 50 Anos

(Aguarelas de Turner)
(Aguarelas de Turner)
(Aguarelas de Turner)
http://www.vulcaodoscapelinhos.org/

"É assim que
morremos,
como o vulcão:
feridos pelo
tempo, pela
voragem dos
ventos e das
névoas, pela
gravitação dos
magmas, pelo
inexorável
estertor das
marés.
O sentido é
estar aqui entre
o vulcão e o
poema. Ser testemunha
de um tempo
e partir, depois,
num barco ou
numa nuvem."

in Vulcão Aberto (fotografia : António Silveira; texto: Maria do Céu Brito; prefácio: Victor Hugo Forjaz).Faial, 2007

1 comentário:

  1. Foi nesse lugar que definitivamente acreditei que o divino é a matéria.

    ResponderEliminar

Não são permitidos comentários anónimos