Google+ Followers

quarta-feira, março 23, 2011

...e pu-lo no chão a correr....

    (Aguarelas de Turner)
Entrei no café com um rio na algibeira
e pu-lo no chão,
a vê-lo correr
da imaginação...

A seguir, tirei do bolso do colete
nuvens e estrelas
e estendi um tapete
de flores
a concebê-las.

Depois, encostado à mesa,
tirei da boca um pássaro a cantar
e enfeitei com ele a Natureza
das árvores em torno
a cheirarem ao luar
que eu imagino.

E agora aqui estou a ouvir
A melodia sem contorno
Deste acaso de existir
-onde só procuro a Beleza
para me iludir
dum destino. 


(José Gomes Ferreira) 

3 comentários:

  1. ... que rio lindo e tão bem cantado!
    A foto tem uma luz coada linda!

    ResponderEliminar
  2. lindo, lindo!alimenta minha alma passar por aqui. Não é exagero meu, acontece.

    ResponderEliminar
  3. Belíssimo! Era um romântico este José Gomes Ferreira!

    ResponderEliminar

Não são permitidos comentários anónimos