Google+ Followers

sábado, maio 10, 2008

Um projecto que vai até à extremidade do possível...

(Cassat)
(...)
Aqui reside a diferença entre desejar e querer. Querer é mais vasto que desejar. Desejar é mais antigo e primordial. Querer é mais complexo e exigente. Além disso desejar é passivo e irresponsável- não responde pelas consequências. Querer é activo e assume-as. É por isso que o desejo pode sobreviver ao querer quando este já se declarou incapaz. Um indeciso pode manifestar desejos, mas não pode sustentar o querer. Quando quero dirijo-me a circunstâncias exteriores desconhecidas ou aleatórias, tantas vezes rudes e hostis. Quando desejo penso em mim, no máximo em ti. É por isso que uma grande parte dos desejos se esgota antes de poderem ser formulados. E é por isso, mais que não seja por isso, que pelo menos esses, são irrealizáveis. Querer é dizer ao instante vivido: espero-te mais à frente, tenho um projecto que vai até à extremidade do possível. Desejar é dizer-lhe: fiquemos por aqui,nesta espécie de "relâmpago íntimo"(F.Pessoa).

Fernando Gandra- O Sossego como Problema (peregrinatio ad loca utopica). Fenda

3 comentários:

  1. Este excerto fez-me pensar um bom bocado.
    E é isso mesmo: "Querer é dizer ao instante vivido: espero-te mais à frente, tenho um projecto que vai até à extremidade do possível."

    ResponderEliminar
  2. Pois... foi esse mesmo trecho que me fez pensar como a distinção feita pelo Fernando Gandra é tão pertinente.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. Costumo dizer :o desejo vem da alma e o querer da razão. Juntemos os dois!
    Bj.

    ResponderEliminar

Não são permitidos comentários anónimos