Google+ Followers

quinta-feira, maio 08, 2008

Mas por um vago florir...

Queria dizer a alguém
Como quem já lhe falou
Não o que penso, nem bem
O que sinto, mas o que sou.

Não por palavras- até
Poucas palavras é vão,
E um sorriso ou olhar é
Como fala a canção-,

Mas por um vago florir
Da alma à flor do dizer,
Que não chegasse a abrir
Em voz, em símbolo, ou ser...

Um intervalo ou olvido
Do gesto ou da expressão
Que fique no olhar ou no ouvido
Como sendo do coração.

(Fernando Pessoa- 21-3-1928)

4 comentários:

  1. Deixei um gesto no outro lado do olhar.
    Mesmo que às vezes, é tão antigo como eu aqui, na net: é assim do coração!

    ResponderEliminar
  2. Muito gosto da [aparente] simplicidade de alguns poemas de F Pessoa.
    Texto e imagem: belíssima integração. :)

    ResponderEliminar
  3. Tão simples, tão belo!
    Obrigado por trazeres Pessoa.
    Bj

    ResponderEliminar

Não são permitidos comentários anónimos