Google+ Followers

sexta-feira, junho 04, 2010

O que vem a seguir não tem nome

Nas igrejas, ao menos aqui em Angola, é comum as pessoas dirigirem-se em voz alta às imagens de Cristo, da Virgem Maria, de qualquer santo, rogando, implorando, ou mesmo censurando-Os. Ninguém acha isso estranho. As imagens estão lá, afinal de contas como uma espécie de telefone público para o além. Um telefone público só com bocal, sem auricular. As pessoas podem interrogar as imagens, mas não têm direito a escutar as respostas. Quem se dirige a Deus é devoto; quem afirma ouvir a voz de Deus é maluco. Eu não sou nem devota nem maluca. Falo contigo para fingir que estou a falar comigo.
O vazio, tu sabes. O vazio e



O que vem a seguir não tem nome.

(José Eduardo Agualusa- Barroco tropical -cap. II- Segunda conversa com Santa Cecília)

1 comentário:

Não são permitidos comentários anónimos