Google+ Followers

terça-feira, maio 01, 2012

Como se a fome alheia não fosse fome de comer...

    (Júlio Pomar)                                                                  
porco trágico I

conheço um poeta
que diz que não sabe se a fome dos outros
é fome de comer
ou se é só fome de sobremesa alheia.

a mim o que me espanta
não é a sua ignorância:
pois estou habituado a que os poetas saibam muito de si
e pouco ou nada dos outros.

o que me espanta
é a distinção que ele faz:
como se a fome da sobremesa alheia
não fosse
fome de comer
também. 
(Alberto Pimenta)

1 comentário:

Não são permitidos comentários anónimos