Google+ Followers

domingo, abril 24, 2011

Rolou devagarinho...

                    (Aguarelas de Turner)
Sem que eu a esperasse,
Rolou aquela lágrima
No frio e na aridez da minha face.
Rolou devagarinho...,
Até à minha boca abriu caminho.
Sede! o que eu tenho é sede!
Recolhi-a nos lábios e bebi-a.
Como numa parede
Rejuvenesce a flor que a manhã orvalhou,
Na boca me cantou,
Breve como essa lágrima,
Esta breve elegia. 


(José Régio )

 Já há muito que não visitava o nosso Norte. Nada justifica permanecermos de costas viradas para lugares que tanto nos trazem. Conheci sítios que eram, até aqui, completamente novos para mim e revi outros que já se tinham desfocado na paisagem dos anos.
Através de algumas fotografias que fui fazendo irei trazer aqui algumas notas soltas desta pequena-grande estadia.
Começarei por evocar Régio, natural de Vila de Conde, e que aqui voltava sempre para olhar este mar que nos comove e nos fascina.

1 comentário:

Não são permitidos comentários anónimos