Google+ Followers

segunda-feira, novembro 28, 2011

E o ar que te respira deixa de esperar...

   

                                   (Sorolla)
Ao lado da janela,
                                        desconhecida dormes.
                                        Com o sono
                                        -ponte de vidro-
                                         e o teu pé nu.
                                         E o ar que te respira
                                         deixa de esperar

                                         o azul da luz do dia.

(João Camilo- A Ambição Sublime)

1 comentário:

  1. eu venho aqui para lembrar a mim mesma o quanto gosto de poesia!linda postagem!

    ResponderEliminar

Não são permitidos comentários anónimos